terça-feira, 17 de novembro de 2009

Notas

Janet Jackson diz que médico foi responsável por morte de Michael

Los Angeles (EUA)- A cantora Janet Jackson disse em declaração transmitida hoje pelo canal de televisão americano "ABC" que Conrad Murray, médico particular de Michael Jackson, foi o responsável pela morte do "rei do pop".
"Acho que (Murray) é responsável", disse Janet no programa "In the Spotlight with Robin Roberts" que vai ao ar na quarta-feira, mas que teve trechos divulgados na internet.
A irmã de Michael fez tal acusação a Murray por ser "quem administrava" os remédios do cantor.
Para Janet, as autoridades deveriam proibir Murray de exercer a medicina.
Murray é o alvo de uma investigação de homicídio que continua aberta desde o repentino falecimento de Michael Jackson, ocorrido em 25 de junho, devido a uma intoxicação aguda por sedativos medicamente controlados enquanto estava sob a supervisão do médico.
"Foi um ano duro. Há dias nos quais realmente é difícil de acreditar e não passa um sem que pense nele (Michael)", disse Janet.
Durante a entrevista, a cantora repassou os eventos de 25 de junho e contou como soube da morte de seu irmão e como reagiu ao ocorrido.

Fonte: G1

***

Médico de Michael Jackson evita prisão em caso de pensão

LAS VEGAS - O médico investigado pela morte de Michael Jackson conseguiu um acordo em um caso de pensão, o que evitará que ele vá para a prisão. Os promotores buscavam uma ordem de prisão para Conrad Murray por não se apresentar em audiências anteriores no caso. Ele era acusado de dever mais de US$ 15 mil a uma mulher e seu filho de 11 anos.
Com Murray na corte na segunda-feira, seu advogado, Christopher Aaron, pagou US$ 700 e prometeu pagar mais US$ 303 para a mulher como parte de um acordo aprovado pelo juiz do tribunal do distrito do condado de Clark, Gerald Hardcastle.
A mulher, Nenita Malibiran, apresentou uma carta ao tribunal dizendo que estava disposta a renunciar aos US$ 15.500 que Murray lhe devia se este começasse a lhe pagar US$ 1.003 ao mês.
O acordo surpreendeu o juiz Hardcastlhe, que interrogou brevemente Murray se Malibiran tinha sido coagida para o que chamou de um ato bastante magnânimo.
Murray disse que não. O promotor Gerard Costantian disse que falou com a mulher e estava convencido de que a decisão dela foi voluntária.
Aaron disse que Murray não tem podido pagar a pensão porque teve que fechar seu consultório após a morte de Jackson em 25 de junho. O advogado disse que Murray estava desempregado e que o dinheiro do pagamento de segunda-feira veio de doadores não identficados.
Murray disse a investigadores que horas antes da morte do cantor tinha aplicado o anestésico propofol para ajudá-lo a dormir junto com outros sedativos. O médico não foi acusado de ter cometido um crime, mas é o centro da investigação da polícia de Los Angeles. Seu advogado neste caso, Edward Chernoff, assistiu à audiência de segunda-feira em Las Vegas, mas não participou.
O problema é que, porque é Conrad Murray, o caso atrai atenção excepcional que não merece. Isto não deveria ter sido nada mais do que um assunto de pensão - disse Chernoff.
Miranda Sevcik, portavoz de Murray, disse que ele argumenta que não receitou nem administrou nada em Jackson que lhe causasse a morte. Janet Jackson responsabilizou Murray pela morte do irmão. Em entrevista à rede ABC News, que será transmitida na quarta-feira, disse que Murray não deveria ter mais autorização para exercer a medicina.

Fonte: O Globo

***

Los Angeles quer reembolso por funeral de Michael Jackson

LOS ANGELES - A procuradora da cidade de Los Angeles, Carmem Trutanich, afirmou nesta segunda-feira, 16, que ainda espera obter o reembolso pelos US$ 3 milhões gastos pela municipalidade com o funeral de Michael Jackson. Apesar disso, um relatório afirma que não há lei que preveja esse tipo de ressarcimento.
O Comitê de Segurança Pública da cidade irá revisar nesta segunda-feira um relatório, segundo o qual Los Angeles gastou US$ 3,2 milhões na cerimônia realizada em julho no Staples Center, incluindo US$ 2 milhões em horas extras para policiais. O documento afirma também que o funeral deu um impulso de US$ 4 milhões para a economia local.
O relatório afirma que não havia determinação em julho prevendo que a proprietária do Staples Center, a AEG, reembolsasse a cidade. Apesar disso, a procuradora disse que buscará o dinheiro.
O cantor pop Michael Jackson morreu em uma mansão alugada de Los Angeles, no dia 25 de junho. O astro tinha 50 anos e morreu em decorrência de problemas cardíacos, provavelmente ligados ao uso de remédios. A morte do cantor ainda é investigada pelas autoridades.

Fonte: www.estadao.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

Arquivo do blog